Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



 

Tenho um fraquinho por inadaptados. Não o simples marginal sem interesse nenhum e sem qualquer tipo de manifestação intelectual, mas sim por aqueles que, sendo inteligentes, criativos até, não conseguem adaptar-se ao mundo, ou aos outros. Isto, normalmente, dá um livro interessante. Bom, e agora mais ou menos a brincar e mais ou menos a sério: se o livro vier do Japão, então a combinação é particularmente feliz. Este pequeno livro é, ainda por cima, baseado em vários aspetos reais da vida do próprio autor. Por isso, preparem-se para entrar num universo bem à parte.

Yozo é um jovem que, simplesmente, não consegue sentir-se humano. Ou melhor, não sente grande parte daquilo que os outros humanos sentem. O que isto provoca, e esse é o interesse maior da narrativa, é que o olhar sobre o mundo de Yozo é um olhar à procura de um sentido e de um rumo para as ações - onde outros agem por instinto ou seguindo emoções, onde simplesmente se deixa fluir, Yozo tem que fazer um esforço para tentar compreender o que esperam dele. Daí a tendência para fazer palhaçadas, construindo assim uma máscara que lhe serve para conseguir ir vivendo em sociedade. Mas a máscara não resiste a tudo e recursos como a bebida vão-se revelando mais eficazes e sobrepõem-se às tentativas de socialização. Yozo vai-se enredando num niilismo que é bastante curioso porque é profundamente individual. Mas este ponto de vista tão interior acaba por resultar em belos trechos de análise do que são os outros e do que é a sociedade. No fundo, Dazai consegue ver de fora, o que não é normal num humano, a não ser que ele seja um bocado… não humano.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

De 222 a 15.08.2014 às 00:59

Como dizia o outro: "arte africana"

Lol

;)


De numadeletra a 04.09.2014 às 19:02

Há tempos estive quase a comprar este livro.

Conhendo os meus gostos, achas que vou gostar?

De pedrices a 05.09.2014 às 14:05

Por acaso, não é livro que eu te aconselhasse, não... Claro que posso estar enganado. E agora quase que o devias ler só para ver se tenho razão ou não, ehehehe :)

De adignidadedadiferenca a 10.09.2014 às 13:24

Já lera uma referência ao livro noutro blog, bem positiva por sinal. Agora ainda fiquei mais curioso e com vontade de ler o livro. Brevemente. P.S. É que também sinto alguma empatia por inadaptados...

Comentar post



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Agosto 2014

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Tags

mais tags