Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



 É difícil pôr em ordem as ideias sobre este livro. Vou tentar em tópicos:

  • Não é fácil entrar na vida deste Eduardo, um rapaz que lia Rimbaud e que, provavelmente, para além disso não fez mais nada de interessante na vida. E é a falta de interesse desta existência que a torna cativante enquanto objeto de atenção literária.
  • O autor, que eu desconhecia em absoluto, compõe um retrato sem concessões do que é o abismo de um Eduardo mal tratado quando criança que não se liberta, nem quer libertar-se, acho eu .
  • Uma leitura terrível, devo dizer… Muito bem conseguido em termos de linguuagem mas cruel, desconfortável, duro. Um livro indigesto mas que é uma obra a considerar quando se quer pensar um pouco naquilo que alguns de nós deixam de ser. Ou aquilo em que nos podemos transformar quando abdicamos de uma certa diginidade.
  • É um livro ótimo para ouvir The Cure. Coloque-se a tocar Watching Me Fall e, a partir daí, ouça-se a Trilogia toda.
  • É pena é que eu não possa sentir grande pena do Eduardo. Apesar de um final arrepiante e poderoso, a verdade é que estou-me bastante nas tintas para ele. Um rapaz que, apesar de ler Rimbaud, se deixou transformar numa sombra. Não por opção mas por resignação niilista, não porque os pais o tenham maltratado mas porque, quando se livrou deles, se revelou o pouco que ele era.
  • As personagens para além do Eduardo parecem ter apenas uma dimensão - sexo. O que é pouco, num livro deste tipo.
  • O autor diz que só assim entende a literatura. Que choca, que inquieta, que altera (entrevista http://ipsilon.publico.pt/livros/entrevista.aspx?id=306386 ). Concordo, especialmente quando altera. Mas não é o caso, aqui choca, o que não é necessariamente bom, e não é sempre bom. Também inquieta, o que é um bocadinho melhor porque a inquietação é, muitas vezes, o antídoto do niilismo. Mas não me parece que algo mude. Isso é para outros livros. Este é só mais um, nessa longa história de livros que saltam constantemente entre a linha que separa o que é muito bom  e muito válido, e aquilo que é mais vistoso do que concreto.

Enfim, é uma leitura. 

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

De numadeletra a 28.08.2012 às 08:49

Em relação a este livro vou-me ficar pelo teu comentário, que gostei uma vez mais.

De C. a 28.08.2012 às 13:47

Desconheço o autor.
Há elementos, por "culpa" do comentário, que me parecem interessantes. Por agora fica a nota de um "novo autor".
Num post anterior, relativo a este título, prevaleceu a imagem de Virginia Woolf (possivelmente a das "Horas")... Sendo objectiva o que quero dizer é que gostei da frase.

De pedrices a 28.08.2012 às 14:41

Também desconhecia. Foi a partir de uma peça no Y do Público que fiquei interessado. Até já ganhou um prémio com outro livro.
E sim, essa frase com a Virginia também me remeteu para "As Horas". É algo que fica...

Comentar post



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Agosto 2012

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Tags

mais tags