Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Este livro andava lá por casa há uns anos. E eu há uns anos a prometer-lhe atenção. Há uns dias peguei nele, meio desconfiado mas decidido a dar-lhe o benefício da dúvida. É grande, a letra é pequena, se calhar ainda não vai ser desta, pensei. Bom, a verdade é que foi. Logo na primeira página dei por mim a sorrir, e foi melhorando. Embora se possa pensar à partida que esta é a história de um hermafrodita - e do seu percurso na vida, a verdade é que é muito mais do que isso.

Agora desculpem lá mas este livro é tão bom que só contando alguns dos detalhes da história é que eu consigo explicar. Por issso, o resto do texto não é aconselhável a quem não leu.

Surpreendentemente, logo no início somos transportados para a anatólia, onde Grécia e Turquia ainda disputam os territórios que virão a ser turcos. Está lá Mustafá Kemal, estão lá as idiossincrsias da região, o retrato do povo grego, e os avós do narrador que, nesse ano de 1922 irão partir, ou melhor, fugir, para a América. Uma vez lá, passam pela implantação do fordismo (com esta frase - "Um facto histórico: as pessoas deixaram de ser humanas em 1923."), pela lei seca, tornando-se o avô do narrador um traficante. Há também a crise de 29 e as mudanças a que esta obrigou. Há toda uma série de referências históricas que nos vão situando no mundo, por um lado, e no quotidiano das pessoas, por outro. Tanto somos introduzidos na revolução que é a emancipação femina, como assistimos à invasão de Chipre pela Turquia. Henry Kissinger, por exemplo, aparece neste livro, sempre visto como as pessoas comuns o terão visto. Só que estas pessoas comuns são invlugarmente interessantes.

Depois de mais de 300 extraordinárias páginas, então sim, vem a história do heramfrodita a sério. Por essa altura, apetecia continuar a assistir à história da família mas, afinal, temos mesmo que nos preocupar um pouco com a/o protagonista.

A forma como o narrador está desenhado é um dos pontos fortes da obra. Ilimitadamente omnisciente, é alguém que consegue relatar acontecimento de quando ainda não existia, e o seu próprio nascimento. Parece um narrador da literatura latino-americana e, no entanto, não o é (naquilo que em que isso é uma coisa boa). A forma como vai articulando os vários tempos da história, a forma como sabe ir situanado o leitor, como até é capaz de prever as suas dúvidas, tornam-no irresistivelmente divertido. Em português o sexo de quem fala é mais vezes identificável do que em inglês e isso deve tornar a leitura do original ainda mais peculiar. Enfim, a tradução portuguesa está correta e, às vezes, é memos muito boa. Mas esbarra, aqui e ali, numa indefinição um bocado embaraçosa. Identidade  genérica em vez de Identidade de Género? Enfim, o tema deixa qualquer um confuso/a…

Em resumo, quando um livro se "atreve" a ter mais 500 páginas, deve ter mesmo algo para dizer e, já agora, não deve ser uma repetição constante de uma mesma ideia. Eugenides começa bem, acelera, lança-se num romance fantástico e apenas se lembra da história principal lá mais para o fim. E é absolutamente delicioso assistir a isto.

Autoria e outros dados (tags, etc)



calendário

Abril 2012

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Tags

mais tags