Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

Ler estes contos de Flannery O’Connor, lembra-me as fotografias de Diane Arbus. Há um ângulo diferente, uma bizarria de comportamentos, um inesperado grotesco em todos eles. No entanto, ressalta uma inquietante veracidade.

 O’Connor não é uma escritora de histórias bonitas ou de cenários idílicos, é uma observadora da natureza humana, tal como ela é, ou tal como ela pode ser, muitas vezes.

 Desta colecção de dez contos, destacaria:

 Um bom homem é difícil de encontrar: este é o primeiro conto e, na sua estranheza, acaba por ser uma introdução divertida, que não prepara o leitor para o que vem a seguir. A profundidade das consequências daquilo que acontece nestes contos, não se fica pela apresentação da acção, entranha-se de forma insistente naquilo que ficamos a pensar.

 O Preto artificial é, na minha opinião, um dos momentos mais conseguidos deste livro. Onde os temas vão desde o racismo às relações entre novos e velhos, passando pela oposição cidade/campo, coragem/cobardia, tradição/modernidade. O final é desconcertante, como em quase todos os contos, se bem que o efeito nem sempre é bem conseguido.

 Um Cículo de Fogo, é um conto perturbador. As acções dos personagens levam a uma sensação inquietante, mesmo sendo perfeitamente previsível. Trata-se aqui da mesma atmosfera de, por exemplo, Funny Games, o filme de Michael Haneke.

 A Gente Sã do Campo, consegue ser o mais representativo da escrita de O’Connor. Ao bizarro da situação junta-se a angústia das consequências. A sabedoria e a arrogância são vencidas pela maldade e pela esperteza. De bom, fica apenas a sensação de o ter lido.

 A ideia de que O’Connor seja uma das maiores escritoras americanas do Séc. XX, como muitos defendem, parece-me que fica ainda por confirmar. Os contos são realmente bons, as comparações e descrições são estonteantes e obrigam a parar a leitura, como se levássemos murros no estômago. Mas fica-me alguma sensação de que precisava, aqui e ali, de um pouco mais para compreender a essência de alguns comportamentos.

Uma autora a acompanhar, especialmente porque fiquei curioso com os seus dois romances, já editados em português.

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

De Patrícia de Oliveira a 05.07.2012 às 13:58

Olá, gostaria de saber onde posso encontrar o conto "Um bom homem é difícil de encontrar" online. Você pode me informar?

De pedrices a 06.07.2012 às 19:07

Olá,

Não fazia ideia mas coloquei o nome do conto no google e encontrei isto:

http://www.cavalodeferro.com/upload/Pdf340.pdf

Comentar post



calendário

Dezembro 2008

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Tags

mais tags